D esconhecida da maioria das pessoas, a especialidade da cirurgia de mão teve início durante a Segunda Guerra Mundial para o tratamento das lesões complexas do membro superior, causadas principalmente por explosivos. Se um soldado fosse ferido na mão era tratado por vários especialistas ao mesmo tempo, sendo que o ortopedista tratava das fraturas, o neurocirurgião cuidava das lesões de nervos e o cirurgião plástico tratava das lesões de pele e tendão.
Apesar de ser uma equipe formada por vários profissionais capacitados, o resultado do tratamento muitas vezes não era satisfatório. Assim, o retorno dos militares ao campo de batalha era demorado, sendo muito comuns os casos de infecções, rigidez e perda da função.
Foi desta maneira que surge a necessidade de que algum profissional fosse capaz de tratar tudo relacionado às mãos de uma só vez, a fim de reabilitar o soldado o mais rápido possível. Aparece então o cirurgião especialista, capaz de tratar clínica e cirurgicamente todas as partes da mão e também o cotovelo (ossos, articulações, ligamentos, tendões, músculos, vasos sanguíneos, nervos e até a parte estética). Assim nasceu a Especialidade de Cirurgia de Mão.
A filosofia primordial de tratamento das patologias e traumatismos da mão é restabelecer a função, ou seja, proporcionar o retorno imediato dos movimentos e da sensibilidade.
Devido à grande complexidade das estruturas que compõem a mão, o tratamento de pacientes com lesões deve ser altamente especializado. Isso é feito com cirurgias reparadoras e com um programa especifico de reabilitação, obtendo-se assim, o melhor resultado, num curto espaço de tempo.

 Doenças da Mão
 Orientações para pacientes
 publica